29/08/16

Como se tornar low carb

Nenhum comentário: | |
Imagem: Freepik

Quando se fala em alimentação com baixo consumo de carboidratos a maioria das pessoas já pensa em um prato repleto de ovos, bacon e carne bovina. A realidade é diferente e bem mais simples. Depois de um tempo de adaptação, acabamos percebendo que pode-se comer muito bem sem tantos carboidratos e que a saúde melhora bastante com este tipo de alimentação. Mas a pergunta que muitos fazem é: como começar?

Bom, minha principal dica seria um sonoro: VÁ COM CALMA. Sim. A maioria das pessoas que faz mudanças radicais acabam desistindo delas. Isso porque a privação é tão grande no começo que quando a pessoa sai da linha é pra valer, e não volta mais. Pelo contrário, quando você faz uma transição mais tranquila, as coisas simplesmente vão se encaixando. A paciência é bastante importante neste processo. Se você deseja uma alimentação nesta linha para emagrecimento, precisa saber que os resultados vêm sim, mas podem não ter aquela valocidade que você deseja - até porque a maioria de nós quer resultados para ontem. É preciso dar um passo de cada vez e ter uma base consistente primeiro. Depois o que viver sobre esta base se manterá com mais facilidade.

Vamos imaginar aqui que você vem de um contexto de diversas dietas e que atualmente vem tendo uma vida bastante "desregrada", com consumo de açúcar, frituras e tudo o mais. Há cerca de 3 ou 4 anos atrás eu comecei a mudar meus hábitos. Mas não comecei de supetão, ou tenho certeza de que não teria conseguido. Então vá com calma também. Comece inicialmente fazendo escolhas melhores. Você consome líquidos em todas as refeições? Habitue-se a se alimentar sem a ingestão de líquidos. Ponto. Feito isso, quando já não é mais difícil, mude o tipo de líquidos que você vem consumindo. Se você tem o hábito de beber sucos e refrigerantes, deixe-os inicialmente apenas para os finais de semana. Depois, consuma-os apenas em ocasiões especiais. E então, retire-os da sua vida. Mesmo os diet, porque em termos de saúde - se você não for diabético, claro - dá na mesma. Substitua os refrigerantes por chás, água ou suco de limão.

Com relação ao açúcar, comece com pequenas trocas também. Troque o açúcar cristal pelo mascavo. Evite doces todos os dias, substituindo a sobremesa por uma fruta por exemplo. As frutas contém bastante açúcar, mas as fibras diminuem o impacto na glicemia e são um degrau para melhores escolhas. Evite os sucos: pela alta concentração de açúcar e ausência de fibras, o suco acaba sendo tão prejudicial quanto uma sobremesa cheia de açúcar. Depois, substitua o açúcar por adoçantes - de preferência os mais naturais, como stevia por exemplo (procure por boas marcas, elas existem!). 

Com relação ao pão, substitua-o pela versão integral, e depois vá diminuindo a frequência com que o usa, até que não o use mais. O mesmo vale para macarrão, arroz. Depois que você já está habituado com as versões integrais, vá diminuindo o consumo, testando novas receitas até que não consuma mais - a menos que você não precise emagrecer.

Vá diminuindo a quantidade de industrializados na sua dieta: troque a ervilha em lata pela fresca, o milho em conserva pela espiga, o extrato de tomate pelo molho caseiro... Troque os caldos industrializados por caldos caseiros e experimente novos temperos naturais - as possibilidades são infinitas! 

E com relação aos legumes e verduras: varie! Varie bastante! Busque na internet receitas de diferentes formas de preparar aquela salada de sempre. Se você não tem o hábito do consumo de vegetais, vá intriduzindo um de cada vez, de maneiras diferentes, até encontrar as formas de preparo que mais te agradam.

Sempre que você fizer uma ou duas mudanças mudança, foque nelas e insista até que pareçam naturais. Quando for natural para você, intriduza mais uma ou duas mudanças novas. Dessa forma você não sofre tanto e as coisas vão acontecendo naturalmente, bem como os resultados. E a mágica acontece!

Beijão!

12/08/16

Sobre Pokémon Go e a intolerância nossa de cada dia

Nenhum comentário: | |

Acho que a maioria já sabe do lançamento do aplicativo para celular chamado Pokémon Go. O jogo é bem simples (para os jovens pelo menos hahaha), e consiste em procurar pokémons (uns bichinhos fofinhos como os da imagem de abertura do post) pela cidade afora. O aplicativo utiliza o GPS para localizar o usuário e então, a partir dessa localização, "coloca" bichinhos pelo caminho através de um sistema de realidade aumentada. Bichinho encontrado, o jogador precisa capturá-lo utilizando uma bolinha. Aí claro, há as evoluções dos bichinhos, lutas entre os pokémons em ginásios que ficam localizados em pontos específicos da cidade, totens (os pokéstops) onde se podem recarregar as bolinhas e encontrar ovinhos (que para chocarem pedem que o usuário caminhe um tanto) e outros detalhes que só quem entende mesmo do jogo se aprofunda. 

Quando o jogo foi lançado a nível mundial foi uma loucurinha. Quando chegou ao Brasil idem. E assim como a adesão ao jogo foi em massa, as críticas a ele também foram. Tudo tem os dois lados. Há sim pessoas que se tornam meio obsessivas, jogando inclusive em lugares inapropriados, e se pondo em risco quando andam com o celular na mão pra lá e pra cá. Há quem tenha sido assaltado e há até mortes atribuídas ao jogo, de pessoas descuidadas (mesmo que algumas manchetes noticiem a morte por descuido ao jogar e depois o texto diga que não foi pelo jogo). Enfim. 

O fato é que com a popularização das redes sociais, tudo vira motivo pra polêmica. O jogo mal começou, e já há críticos e defensores ferrenhos dele. Quando as pessoas poderiam apenas ficar na delas. Tudo que é novo causa frisson. É perfeitamente normal. Quando há um jogo novo, um aplicativo novo, um show de alguma banda conhecidona. Os pokémons existem há anos e já há diversos jogos, sem contar desenho animados e afins, a franquia é grande. Era lógico que um jogo assim fosse atrair em massa a garotada. E como eu disse, há pontos positivos e negativos, mas ficar xingando em rede social não altera isso em nada. Quem gosta e joga não vai deixar de jogar porque a mãe do amigo acha ridículo. Textão do Facebook não vai "abrir os olhos" de ninguém. Eu já li muita coisa, algumas chegam a ser engraçadas.

Pokémon já virou jogo do demônio, espião, coletor de dados dos celulares... Bom, se ele coleta dados? CLARO que sim. Abram as configurações do seu celular, vá até os aplicativos e olhem as permissões. Permitimos que a imensa maioria dos aplicativos coletem informações nossas. Ah, você não tem celular? Bom, o Facebook faz o mesmo. E você autoriza isso quando marca aquela caixinha, durante a inscrição, que diz "li e aceito os termos de uso". Se não leu, azar o seu. O Google, idem. Tudo que é acessado pela internet coleta nossas informações. Ou você acha que depois de pesquisar o preço de uma fritadeira elétrica no Submarino ela começa a aparecer nas publicidades pela internet toda de graça? Não, eles coletam suas informações ali. Por isso, para movimentar contas bancárias via computador, é preciso ter um bom antivírus e muito cuidado onde clica na internet para não acabar com algum programa espião.

No mais, Pokémon Go é uma febre, Vai passar. Com relação aos adolescentes que saem descuidados, a responsabilidade de orientá-los ou acompanhá-los é da família, não do jogo. Não dá pra sair culpando um aplicativo de celular pelas atitudes de pessoas. Pessoas devem ter uma boa base para saber como se portar diante disso, em que momentos jogar e, caso ultrapasse estes limites, cabe à família dar este limite. Com relação aos adultos, bom, aí a vida é pessoal, e não nos cabe ficar ditando normas ou querendo que as pessoas se comportem da forma que desejamos. Isso é apenas mais uma forma de encontrarmos mais uma frustração para nós mesmos.

Se eu jogo? CLARO! Mas sinceramente, só tenho pego Pokémons que ficam perto da minha cama, porque não tenho mais a disposição dos jovens. E sinceramente, fora o pegar os pokémons em si, não sei quase nada do jogo e me falta vontade de aprender mais sobre. Mas eles são bonitinhos! E eu gosto de pegá-los. 

Beijão!

10/08/16

Receita: cocada cremosa LCHF / Comida de Verdade

Nenhum comentário: | |

E claro que temos receitinha! Esta cocada é bem fácil de fazer, e fica deliciosa. Mas ela pode não ser ideal para quem faz alguma dieta com controle de calorias (ela é BEM calórica) e nada ideal para quem não consome gordura (ela tem BASTANTE gordura). Se ela for feita da maneira mais natural possível, fica melhor ainda! É cheia de gorduras de excelente qualidade e diversos outros nutrientes.  Quem compartilhou essa receita deliciosa foi a Lilian Sá (@lilian_sa no Instagram, @sa_lilian no Snapchat), que é uma pessoinha maravilhosa, com excelente gosto para a cozinha e que ensina receitas deliciosas sempre! Bom, vamos à receita?


Cocada cremosa  
Ingredientes- 200 g de coco ralado (de preferência fresco)
- 300 a 400 ml de creme de leite fresco
- 1 gema de ovo sem a película (pode ser manteiga ou óleo de coco)
- adoçante a gosto
Como fazerMisturar tudo em uma panela, mexa bastante e até engrossar (solta do fundo da panela como brigadeiro). Engrossou, desligue. Se você insistir pode "sorar" a gordura. Eu adocei com stevia, e pouco, pois fiquei com medo de que ficasse com um sabor residual. Não ficou.  Fica assim, deliciosa!

Recomendo fortemente que você faça! De preferência faça com o coco ralado natural mesmo (não de pacotinho), e com o creme de leite fresco. Ponto pra saúde. E me conte depois!

Beijão!

08/08/16

Como foi a semana? - Semana 01 de agosto/2016

Nenhum comentário: | |



Esta foi uma das melhores semanas para mim. Retornei ao trabalho (apesar de confessar que essa parte foi triste hahaha), e consegui estabelecer mais ou menos uma rotina alimentar. O plano é almoçar em casa na segunda, terça e quinta-feira. Nestes dias não vai rolar café da manhã, porque nunca tenho fome mesmo, e acaba atrapalhando meu apetite para o horário do almoço. Na quarta e na sexta almoçarei bem mais tarde (quase um "almojantar"), pois ficarei no trabalho direto no horário do meio dia. Neste dia então ou farei um jejum mais prolongado, ou farei um belo café da manhã, que certamente irá segurar minha fome no decorrer do dia. 

Foi o que fiz hoje. Ontem na hora do almoço não estava com fome, então não comi. Fiz um almoço tardio lá pelas 17h, e a fome do dia acabou. Então hoje cedo acordei com fome, e fiz 3 ovos no óleo de coco (era ovos pequeninhos, por isso 3), e bati um kefir com morangos (em breve falarei do kefir, é fantástico!). Nem consegui tomar toda a batida, deixei metade para o marido. Como sempre, caprichei na alimentação. Gosto de comida bem feita, de cozinhar com amor, de pratos com uma boa apresentação. Na verdade gosto cada vez mais destas coisas. 

Procuro usar ingredientes simples, baratos (até porque não ando nadando em dinheiro, infelizmente), e fáceis de encontrar. Apenas eventualmente consumo algo mais "diferente". Isso torna a alimentação do dia a dia prática, descomplicada, barata e fácil de fazer. Apenas me empenho mais em formas diferentes de preparação dos alimentos. O que acho essencial.

Sabem, ter adotado uma linha alimentar como estilo de vida traz uma tranquilidade que jamais senti. Acabou aquela pressa em perder peso, aquela precisa em "terminar" a dieta. Com meu marido seguindo mais ou menos a mesma linha (pq ele dá umas escapadas a mais que eu), tudo fica ainda mais simples. Minha despensa está reduzida. A parte que eu destinava a alimentos empacotados, industrializados, caiu para cerca de 1/10 do que era antes. Na verdade guardo quase tudo em uma prateleira. A geladeira não anda lotada também. Antes vivia cheia, mas coisas estragavam e haviam aqueles produtos que duram "eternamente" também. Agora, sem estes produtos, está bem reduzida. Como consumimos mais legumes, verduras, alguns queijinhos, acabamos comprando pouco por vez, para que não acabem estragando e indo fora. Tenho comprado com mais frequência e em menos quantidade. Tem sido ótimo!

Devo dizer que tudo isso é libertador. Lembro de quantas vezes eu repetia o coro do "mas o que eu vou comer?" quando se falava em alimentação saudável. Toda a minha alimentação era baseada em arroz, feijão, macarrão, pães, bolos e biscoitos. Eu achava impensável algo diferente. E muito, muito triste. O processo todo, desde que comecei a diminuir frituras, refrigerantes, até onde me encontro hoje, levou cerca de 3, 4 anos. É uma mudança muito mais de cabeça. De compreensão. E posso dizer que jamais estive tão satisfeita com a minha alimentação.

Posto praticamente toda minha alimentação no Instagram (@denny.baptista). Acho bacana isso, pois consultei diversos perfis que se alimentam na mesma linha para ter sugestões do que comer, e ainda o faço de vez em quando. Acho que ajuda demais!

Sobre a perda de peso: este mês ela foi menor do que eu gostaria. Mas estou acertando meus ponteiros devagar. Sei que comi mais frutas que no primeiro mês. Dei umas escapadas a mais também. Agora é a hora de ir reajustando, até encontrar o equilíbrio ideal para mim. Sem pressa dessa vez, mas com um foco bem firme!

Beijão e boa semana!

05/08/16

Frutas e emagrecimento: como proceder

Nenhum comentário: | |
Imagem: Freepik

Frutas são muito saudáveis. Ponto. Fazem parte de uma alimentação saudável. Ponto. Isso todos sabemos. Mas o que muitos de nós demoram a compreender é que, mesmo saudáveis, muitas frutas possuem uma enorme quantidade de açúcar. Bastante mesmo. Por isso, para quem quer emagrecer, é preciso sim controlar o consumo de frutas.Vamos entender os motivos!

Quando eu fazia a dieta Dukan, muita gente pirava na questão das frutas. Porque nas duas primeiras fases da Dukan frutas não entram no cardápio. Então é importante que eu explique o seguinte: ninguém morre se não comer frutas. Ninguém fica doente caso não coma frutas. E ninguém fica anêmico ou tem déficit de vitaminas caso decida não consumir frutas. Eu já fiz muitas dietas malucas. Mas quando comecei a fazer a Dukan, minha saúde já estava um caos, e eu não pretendia piorar a situação. Então iniciei a dieta com apoio do meu médico, com exames periódicos. E pesquisei sobre esta questão das frutas, pois eu não queria ficar doente e precisava saber se havia alguma vitamina ou mineral que só fosse encontrado em frutas. E o fato é que não existe. Listei todas as vitaminas e os principais minerais e busquei na internet, e descobri que não há uma única vitamina ou mineral que exista nas frutas e não exista em legumes e verduras. Não existe. Postei estas listas no meu Instagram (@denny.baptista). 

Bom, mas se você não faz a dieta Dukan, e pode consumir frutas, qual a melhor forma de consumi-las? Vamos ver isso então. Para começar, precisamos entender que o açúcar cristal não é o único tipo de açúcar existente no universo. A base do açúcar é a glicose. E todos os carboidratos, quando em nosso organismo, se convertem em glicose. Alguns em mais glicose, outros em menos. Há vários nomes para o açúcar também, dependendo de sua origem. A lactose, por exemplo, é o açúcar presente no leite. A frutose, é o açúcar presente nas frutas. E há outros. Mas todos eles, quando entram em nosso organismo, se convertem na mesa coisa: glicose. Toda fruta possui frutose. Algumas menos, mas a maioria tem bastante deste nutriente em sua composição.

O que temos de científico é que quando há excesso de glicose (que é um dos fornecedores de energia para organismo - não o único) no organismo (e ela pode vir de açúcares propriamente ditos, mas também pode vir de pães, massas e outras fontes de carboidratos), ele a estoca em forma de gordura. É como quanto possuímos um arquivo muito grande no computador, e queremos diminuir seu tamanho para que possa ficar dentro dele sem ocupar tanto espaço:nós o zipamos. O organismo faz isso com toda a energia que não utilizamos: guarda ela nos adipócitos (que são as células de gordura) e guarda a maldita lá nos pneuzinhos para poder usá-la em outro momento. Mas se frequentemente sobra essa energia, cada vez mais vamos estocando a dita cuja em forma de gordura e é assim que o peso sobe.

Gastar energia não é tão simples. Se você come um hambúrguer, dependendo de onde você come, ele facilmente ultrapassa 500 calorias. E você precisa caminhar por mais de uma hora para gastar isso. Ou seja: é mais complicado do que parece. 

Então, sobre as frutas: a maioria delas possui muita frutose, que já sabemos, é o açúcar das frutas. Quando queremos emagrecer, é preciso diminuir toda essa oferta de energia para o organismo, principalmente da que vem dos açúcares, pois está é a que mais se converte em gordura. Então é preciso pegar leve no consumo das frutas. Se você come arroz, feijão, pão (mesmo o integral), consumir 2 ou 3 frutas por dia pode impedir seu processo de emagrecimento. Se você faz uma alimentação de baixo carboidrato, também, pois elas contém muito carboidrato (açúcar). Se você já tem resistência à insulina, mais ainda!

Outra coisa MUITO importante: a melhor maneira de consumir qualquer fruta é: comendo. Quando consumimos a fruta, além da frutose, consumimos fibras que, além de importantes para a saúde, diminuem o impacto dessa glicose no organismo. Quando se consome a fruta em forma de suco, temos os seguintes problemas: o primeiro é o consumo excessivo de fruta. Dificilmente alguém faz um copo de suco de laranja com apenas uma laranja. A média é muuuito maior. Então o consumo acaba sendo bem maior também. O segundo problema é que, separando a fibra da frutose, você acaba não só com um impacto muito grande de açúcar no seu organismo, mas no seu fígado também. Vocês sabiam que a esteatose hepática (gordura no fígado) é causada pelo alto consumo de carboidratos e não gorduras? E que o consumo de sucos é algo que influencia diretamente na piora desse quadro? Inclusive profissionais de nutrição e vários médicos (dos mais antenados, claro) desaconselham o consumo de suco de frutas por crianças. Para vocês verem que a coisa  não é bem assim, a frutose é medonha amigs.

O ideal então é que quem quer perder peso consuma poucas frutas no dia a dia, e opte pelas menos doces: frutas vermelhas (morangos, mirtilos, framboesas), maracujá, kiwi, coco, abacate (coco e abacate possuem bastante calorias, então podem não ser ideais para quem faz as dietas tradicionais que contam calorias, mas são perfeitas para quem segue uma alimentação low carb, pois possuem bastante gordura de boa qualidade e pouco açúcar). O ideal é que você mesmo observe sua alimentação, a balança, e decida qual a quantidade de fruta que você pode consumir sem que a balança suba ou pare de perder peso. Algumas pessoas que estiveram com sobrepeso por muito tempo têm mais dificuldade para emagrecer e precisam controlar ainda mais este consumo. 

Eu diria que o ideal para quem quer emagrecer é uma porção de fruta por dia, daquelas menos doces, deixando as mais doces para eventualidades. É uma receita que funciona para a maioria. E aí, a partir disso, cada um vai sentindo como seu organismo reage.

Bom, não posso encerrar este post sem deixar bem claro que não sou nutricionista. No entanto, sigo bons profissionais em redes sociais, gosto muito do assunto nutrição e estudo muito sobre ele. Por isso digo para vocês: não acreditem em mim. Façam suas próprias pesquisas. Usem o senso crítico. Entendam o que é uma boa referência científica para não caírem naquelas lorotas que vemos em revistas "fitness", que usam as frases "estudos dizem que...". Não podemos mais ser reféns de profissionais ruins, porque cada um diz uma coisa e se dependermos disto ficaremos perdidos sem saber o que fazer. Então precisamos aprender por nós mesmos. Certo?

Beijão!